DIAMONDS ARE FOREVER


Hoje queria ter escrito um ou dois posts, actualizado os vídeos aqui à direita (YouTube em manutenção a esta hora) e percebido porque é que não aparecem as minhas imagens no widget do Flickr.

Mas as minhas recentes funções profissionais, mais o meu reencontrado gozo proporcionado pela prática de desporto com amigos (e uma revolta contra a inquisição techzoniana) não me têm deixado muita energia disponível para reflectir e actualizar-me.

Esta falta de tempo e a necessidade de me concentrar em menos coisas levou-me a pensar nos jogos que exigem total dedicação e que nos podem ocupar, quase sozinhos, todas as horas disponíveis para jogar. Verdadeiros diamantes lúdicos, portanto.

No meu caso, lembro-me, em meses recentes, de três exemplos:
– Pro Evolution Soccer
– Football Manager
– Age Of Conan

Sobre este último, queria muito ter escrito a análise na Hype!. Pelo menos na altura inspirou-me a várias considerações. A ver se ainda descubro os apontamentos que tinha. E uns screenshots catitas.

Será que, como jogador já não obrigado profissionalmente, podia depender exclusivamente de qualquer um destes jogos? Como é que um jogo destes pode ser tão eficaz a garantir amor eterno? Tentar responder amanhã.

Entretanto, vão deixando aqui comentários sobre o(s) jogo(s) que – para usar um lugar-comum – levariam para uma ilha deserta.

Anúncios

10 comentários

  1. É bom saber que ao menos estás em “cima”. E isso é o mais importante.
    Sou um bocado suspeito (quem me conhece percebe), mas levaria o Super Mario Bros. 3, e um Zelda…talvez o Oot, quem sabe.

    Sendo impossível jogar numa ilha deserta, a companhia seria boa. :p

  2. Gostei do facto do combate do AoC não ser mais um clicking frenzy, a mecânica é realmente real time, e os servers de Role-Play parecem interessantes, os jogadores encarnam realmente personagens imaginários e levam tudo bastante a sério(alguns até demais). A presença de um nick tipo “CloudFF7” é banido. Há sempre outros tipos de servidores(não Role Play), mas gostei da diferença que este marca.

    Continua. Techzonianos guiados pelo Pedrocas bem podem morrer longe. lol

    Um abraço.

  3. Que jogos levaria para uma ilha deserta… hmm… Lula 3D! lol Não…

    Portanto… era bem capaz de levar aqueles que mais jogo e menos me canso, são vários e mencionando alguns recordo-me de Metal Gear Solid, o consideravelmente recente Tomb Raider Anniversary (já agora ia atrás o original!), Echoes (que não sei como não me canso daquilo!) e provavelmente mais uma infindável lista de jogos mais “instantâneos” que fosse pegar e entrar em acção…

    Já agora, Age of Conan é minimamente decente?! Do que joguei, muito graças à beta key que ganhei num passatempo do MyGames, senti pena de ter gasto tantos GB a fazer download do jogo… e ainda por cima eles tinham a transferência bem sobrecarregada pois estava lento como tudo.

    Anyway… parece-me que é desta que vou passar a pegar no Metro :P Levantando uma questão, que se calhar foi respondida e passou-me ao lado: Nelson, no Metro continuas a escrever sobre videojogos, ou é algo mais geral?

    Cumprimentos

  4. Hehehe abri um tópico igualzinho ao teu pedido no PTGamers! :-D

    Que jogos levaria? Bem se há género que nunca me aborrece são os jogos de desporto mais especificamente os de futebol, portanto a escolha seria Fifa 08, um vicio!

    Levaria também Ico e Shadow of the Colossus para sonhar, Resident Evil 4 para uns sustos moderados, Vagrant Story para saciar a sede RPG, Kurushi para exercitar a carola, e Grid para a adrenalina.

  5. Nem respondi à última questão, lol.

    Levaria Super Metroid, Castlevania Symphony of the Night (versão Saturn), Final Fantasy VI, Half-Life 2, Team Fortress 2(online conta? :P)… Complicado, levaria muita coisa, essencialmente coisas com boa longevidade e replay value que nunca joguei ou joguei pouco e sei que são clássicos de qualidade.

  6. Provavelmente mencionaria títulos que não diriam muito a grande parte dos jogadores de hoje em dia.

    *Planescape: Torment – mais próximo a literatura que o género do role-play alguma vez chegou, e muito daquilo lembra-me Jorge Luís Borges.

    *Portal :)

    *Shadowrun – a versão de Sega Megadrive, não aquele FPS recente.

    *Starcraft – Zerg Rush for the win. A ver vamos se o 2 é bom.

    *Syndicate.

    *Cannon Fodder – acção, táctica, e talvez um dos jogos que melhor retratou a guerra.

    *Soldiers: Heroes of World War 2 – excelente RTS que infelizmente passou despercebido depois do Company of Heroes, mas que fazia algumas coisas melhor.

    *Hitman: Blood Money.

    *Um dos melhores WarioWares.

    *Deus Ex – óbvio!

    *STALKER – bugs, bugs e mais bugs. Mas é um muito bom em termos de exploração e de “setting”.

    *The Wind Waker – a meu ver, o melhor Zelda.

  7. Marco, é sobre tecnologias (jogos incluidos)

  8. […] ARE FOREVER II Convidados a listar os jogos que levariam para uma ilha deserta, alguns de vós optaram por nomear jogos que […]

  9. Não sei não… esse negócio de levar para uma ilha deserta jogos que assentam numa historiazinha bonita sempre igual de frente ou virada do avesso, vou de A a B mato com minha pistolinha aquele fulano e beltrano, faço tal e aculoto e garantidamente já está sou o salvador do universo e afins que tais, cá se me quer parecer mais coisa de quem tem a correr nas veias doses maciças de ismo dos jogos que chegaram ao fim 3 vezes e adoraram e não estão bem a ver o que é estar numa ilha deserta sem puto para fazer.

    Sei lá, assim de repente à 33º vez que estou jogar um FF da vida a coisa deve tender a ser uma monotonia sem limites.

    A bem que se tá numa ilha deserta ou bem que não se está. Por isso, tem de ser coisa para durar uns 3 anos no minimo. E levar 333 jogos é batotice. Só se pode levar uma quantidade limitada e reduzida! (penso eu de quê, lol).

    Eu levava o World Cup 98 prá n64 para vingar todos os dias o Rui Costa ter sido expulso contra Alemanha e terem-nos afastado desse mundial de forma escandalosa.

    E uma psx com o GT (1) lá dentro.

    jogos de carros FTW. Quando se está a anhar é o melhor (presumivelmente como estou numa ilha deserta devo passar maior parte do meu tempo a anhar, por isso…)

  10. Se fosse só um jogo, levava o Frets On Fire com um megapack de músicas X)

    Ou então um compilador de C/Java.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s